A Maior Coxinha do Brasil

Anúncios
Vídeo | Publicado em por | Marcado com | Deixe um comentário

Coxinha do Dona Daisy

Salvem, Salvem Criancinhas,

Hoje vamos falar do Sacro Cone do Bar Dona Daisy. O bar em questão ainda está começando, deve ter no máximo seis meses de vida. A primeira vez que fui lá foi a convite de amigos, e até me espantei quando eles me disseram o endereço, pois naquele lugar existia um boteco pé sujo, daqueles que só servem cervejas, pinga e torresmo peludo.. Mas como sei disso?? Eu frequentava esse buteco, afinal, em épocas de vacas magras é melhor ir ao pé sujo do que ficar sem uma geladinha no final de semana.

Bom! Chegando ao bar, fiquei surpreso, o local que não passava anteriormente de no máximo 30 metros quadrados foi praticamente aumentado, revelando-se um salão mais amplo praticamente 2,5x maior, e ainda um salão ao fundo em um nível mais baixo. Tudo muito bem iluminado, com decoração bem simples.

Fonte: Site do bar

Na primeira visita provei a coxinha, que estava, reconheço lamentável, mas os donos prometeram que iriam melhorar, então dediquei ao D. Daysi uma segunda visita. Logo que um dos donos me viu foi correndo à cozinha pegar duas coxinhas remodeladas para qu eu provasse. Na primeira mordida, já senti toda diferença, ela estava deliciosa… diametralmente oposta àquela que provei na primeira visita. E para fcar melhor ainda, a noite foi regada a Serra Malte.

A avaliação que vou colocar aqui, é da terceira visita, onde estavam também o casal Elder  e Jana do blog Boteco e Cerveja (@botecoecerveja), para ver uma avaliação do bar em si, com mais fotos é só dar um pulo lá. Ah! Os dois participaram também dessa avaliação…

Crédito da foto: Elder Puggina

Então vamos as notas:

Gabú Elder Jana
Casca  8,0  8,0 8,5
Massa
Leveza  8,0 8,5 9,0
Tempero  5,0  7,0 9,0
Espessura  7,0  9,0 9,0
Frango
Compactação  6,5 8,5 9,5
Tempero  7,0 8,5 9,5
Quantidade  7,0  9,0 9,0
Qualid. Do Desfiado  7,0  8,5 9,0
Conjunto da Obra Formato  5,0  6,5 6,0
Oleosidade  5,0  8,5  9,0
Sabor  7,5  9,0 9,5
Tamanho  5,0  8,5 7,0
Total  78,0  99,5 104

Custo: R$ 3,50 (unidade)

VALE OU NÃO VALE??? Depois da mudança da receita, Vale sim….

Aos comentários….

Gabú: A coxinha do supracitado, me surpreendeu na segunda visita. A massa, sem gosto de farinha derrete na boca, entretanto falta um tempero ali, pelo menos um pouco de sal. A espessura é ideal, não interfere no recheio, e por falar em recheio esse é muito gostoso, não tem catupiry, mas é úmido na medida certa e com tempero certo, sal e salsinha. A quantidade é ok, uma boa proporção para o tamanho do santo cone. Ela poderia ser um pouco maior, isso é fato, bem como poderia ter um formato mais clássico, pois ela é do tipo belas ancas, ou seja a parte da “bundinha” é desproporcional. 

Elder e Jana: Compareci até a Dona Daisy para bater papo e tomar cerveja e acabei tendo a honra de estar aqui analisando a coxinha no blog mais especializado do mundo! Não sou especialista, mas com certeza aprecio uma boa coxinha. E o da Dona Daisy me agradou bastante, sendo uma das melhores que provei nos últimos tempos. Graças a essa avaliação pude notar algumas coisas que me passavam desapercebido, como por exemplo o formato, que nesse caso para mim foi o detalhe negativo, estava amassado e achatado. Os positivos foram a casquinha, a massa e o tempero. Torço para que mantenham essa qualidade pois pretendo voltar muitas vezes, a combinação coxinha e cerveja cai muito bem!

Dona Daisy
R. Faustolo, 812. Lapa, São Paulo, SP
11 3862-0044
http://www.donadaisy.com.br 

 

Publicado em Avaliação, Coxinha, Gabú, Lapa, Zona Oeste | Marcado com , , , , | 6 Comentários

Aniversário

Em todo aniversário, ela esta lá. Quando voce é pequeno, ela também é pequena. Como eu, ela está reunida com os colegas no dia da festa. Crescemos, e vamos deixando para tras – com uma pitada de revolta – as coisas da infancia.

Algumas ficam. São estas coisas que te lembram como é gostoso ser criança de novo.  Não temos mais as balas de côco na mesa do bolo, que pegávamos com sorrateio na ansiedade do parabéns. Hoje, trocamos o bolo decorado pela pela mesa do bar. As coisas importantes permanecem. Dividir com os amigos alguns momentos de festa por mais um ano vivido. E sempre acompanhados dela, uma testemunha de todos os sabores da vida, que cresceu conosco, deixando de ser apenas um detalhe.

Esse ano, como todos os outros, brindei meu aniversário cercado dos amigos, comendo uma bela coxinha!

Publicado em Piero | 3 Comentários

Coxinha da Praça Chesse

Caros amantes do Cone Salgado,

Depois de muito tempo ausente, venho postar uma degustação feita em conjunto. Eu, Juju, Dani e Zago fomos ao Praça Chesse, que é aclamado por uma das melhores coxinhas da cidade! Então, fomos conferir… E isso foi em setembro do ano passado. Só agora tomei vergonha na cara para postar nossas impressões!

Chegamos tarde, e eram as duas ultimas vítimas, que foram para o oléo quente… Demorou, mas coxinha frita na hora é o que importa!

E que venham as notas!

Piero Juju Dani Zago
Casca  9,0 9,0  8,0 7,0
Massa
Leveza  6,0  6,0  6,0 6,0
Tempero  8,0  9,0  6,0 8,0
Espessura  7,0  7,0  6,0 5,0
Frango
Compactação 7,0  6,0  9,0 9,0
Tempero 7,0  7,0  7,0 8,0
Quantidade 8,0  9,0  7,0 6,0
Qualid. Do Desfiado 7,0  7,0  8,0 8,0
Conjunto da Obra Formato  8,0  7,0  8,0 6,0
Oleosidade  7,0  7,0  8,0 8,0
Sabor  8,0  8,0  8,0 8,0
Tamanho  9,0  9,0  8,0 7,0
Total  90,0 92,0 83,0 86,0

Coxinha com catupiry, R$ 3,00 a unidade.

Os comentários:

Juju: “Já tinha lido sobre essa coxinha em outros blogs de comida. Todas as críticas eram bastante positivas, o que me deixaram bastante curiosa para conhecer o lugar. Fomos lá já no final do dia e as coxinhas foram fritas na hora!

A massa, embora um pouco pesada, é bem temperada e saborosa, com temperinhos verdes visíveis. O frango também é bem temperado e em bastante quantidade, só que achei um pouco compactado demais, daquele tipo que, quando você morde, acaba vindo um naco um pouco maior do que se espera. O tamanho é ótimo! E não achei muito oleosa.

Apesar de só vir com catupiry, esse vem concentrado no fundo, então não tive grandes problemas. Apesar de preferir sem, o catupiry (não sei dizer se é o original ou não) é bem saboroso.

O único ponto triste: Estávamos em 4 pessoas e só tinha 2 coxinhas… Tivemos que dividir e complementar a fome com um delicioso chesse dog!

Veredito final: talvez não seja a melhor coxinha, mas chegou bastante perto. ”

Dani: “Eu nunca tinha ouvido falar sobre a Praça Cheese, até meu cunhado e minha irmã convidarem eu e meu namorado para  experimentar a coxinha de lá, que, aparentemente, é bastante famosa. Confesso que cheguei lá bastante empolgada, acho que nem tanto pelacoxinha que iria experimentar, mas pelo convite do meu cunhado, Piero, para participar da degustação.

A lanchonete já estava quase fechando e havia só 2 coxinhas. Comemos e lambemos os dedos, apesar de eu e o Raphael termos acabado de almoçar. Achei a massa um pouco pesada e daquelas que gruda no dente, sabe? Mas fora isso, achei a coxinha uma delícia!! A casca estava bem crocante (tinha acabado de sair do óleo) e não estava, milagrosamente, com excesso de óleo, estava bem sequinha. O frango estava muito gostoso, achei ele bastante diferente. Normalmente nas coxinhas, o frango é aquele todo todo desfiado e seco, que mal parece frango. Esse estava bem temperado, molhadinho e em pedaços maiores, de modo que parecia, de fato, frango. Eu, ao contrário da minha irmã, achei o catupiry no fim, uma ótima surpresa! Poderia ter, na minha opinião, catupiry no salgado inteiro, não só no final.

É fato que a coxinha ficou muito mais gostosa por causa da companhia super agradável e da Original extremamente gelada que tomamos para acompanhar, mas, resumindo, eu voltaria outro dia para repetir a dose, sem dúvidas.”

Zago: “Apesar de ser um grande apreciador, nunca imaginei que fosse participar de uma degustação de coxinhas, tampouco escrever uma crítica sobre isso, porém a experiência foi divertida e enriquecedora (nunca mais vou comer uma coxinha como antes hehe).

Nunca havia ouvido falar do Praça Cheese, nem da sua fama relativa à sua coxinha, mas o lugar é agradável e tem uma cerveja bem gelada, o que pra mim é sempre um ponto positivo.

Agora falando da coxinha, a massa era bem saborosa, não estava muito oleosa e tinha sido frita na hora, porém achei um pouco espessa e demorou um pouco pra chegar no recheio. O recheio sim, na minha opinião estava bem feito, parecia ser um frango desfiado à mão, bem temperado e em bastante quantidade e o toque de catupiry, original ou não, no final estava muito bom.

O tamanho da coxinha era padrão e estava com uma boa aparência, nem muito nem pouco frita, mas como chegamos com pouco tempo para o lugar fechar acabamos tendo que dividir as ultimas 2 coxinhas que haviam em 4 pessoas.

Resumindo, eu voltaria ao lugar por que a experiência foi realmente muito boa, parte pelacoxinha que na minha avaliação estava muito boa, mas principalmente pela companhia (Piero, Dani e Ju), e ainda recomendo a quem for visitar o Praça Cheese também não deixar de experimentar o cheese-dog.”

Vale ou nao vale? Alguma vez nao valeu??? Claro que VALE!

Praca Chesse

Rua Álvaro Anes, 25, Pinheiros

Tel.: 3812-1857

Publicado em Uncategorized | 5 Comentários

Coxinha da Cerveja Gourmet

Saudações Bimbos e Bimbas do nosso tão amado território nacional que continua com seus 26 estados…

A aproximadamente duas semanas foi inaugurada no bairro da Lapa (Zona Oeste de São Paulo) um novo ponto de encontro para os apaixonados por cervejas especiais, o Bar Cerveja Gourmet, a casa conta com aproximadamente 200 rótulos, nacionais e internacionais. E no caso de você não saber o que escolher, ou ter alguma dúvida na hora de harmonizar, eles tem um sommelier, o  Guilherme Balbin.  Mas para não ficar delongando muito aqui, se vocês se interessarem em mais detalhes do bar, é só dar um pulo no Boteco & Cerveja, lá tem tudo bonitinho, e o casal Elder e Jana são de confiança no que diz respeito a cerveja.

Como o povo aqui do blog não vive só de coxinha e pingado, resolvi ir lá para tomar uma cervejinha, mais especificamente a boa e velha Guinness, que por sinal estava muito boa, uma pena que a máquina de chopp Guinness não estava funcionando, pois se estivesse, seria melhor ainda.

Mas vocês devem estar se perguntando: Ele vai ficar falando de Cerveja??? Cade a Coxinha????  Palpa, Palma não priêmos cânico…

Para a nossa alegria eles tinham coxinha no cardápio, e é claro que o Titio aqui já foi logo solicitando aos membros da brigada que me trouxessem uma, claro! Mas chega de ladainhas e vamos ao que interessa.

Foto: Elder Puggina

As notas:

Gabú
Casca 6
Massa
Leveza 6,5
Tempero 6
Espessura 5
Frango
Compactação 4
Tempero 6
Quantidade 4
Qualid. Do Desfiado 5
Conjunto da Obra Formato 5
Oleosidade 7
Sabor 6.5
Tamanho 5
Total 56

Custo: R$ 4,00

Meus Comentários: A primeira surpresa dessa coxinha foi a rapidez com que ela veio à mesa, menos de três minutos após o pedido, o que logo indicou que ela já estava pronta, o que foi confirmado logo na primeira mordida uma vez que estava de morna para fria. fiquei sabendo mais tarde que o que suspeitava era verdade, ela estava guardada em um estufa no balcão. No geral não foi uma excelente coxinha, massa pesada, frango processado e pálido e muita falta de tempero, reconheci apenas uns três micro pedaços de salsinha no recheio e mais uns dois na massa. Um ponto positivo é que ela não era muito oleosa, talvez pelo fato de ter passado um bom tempo na estufa.  O Bar ainda é novo, não completou nem um mês, então acho que ainda dá pra resolver esses deslizes, afinal tudo o que provamos fora a coxinha estava muito bom.

Cerveja Gourmet
Rua Tito, 400
Lapa – São Paulo SP

Publicado em Avaliação, Coxinha, Gabú, Lapa, Zona Oeste | Marcado com , , , , | 4 Comentários

Humor com Coxinha

Enquanto preparamos o próximo post, que deve sair no começo da próxima semana, fica aqui um pouco de Humor …

 

Autoria: Sammia, do http://www.casandosemgrana.com.br!

Publicado em Uncategorized | Marcado com , | 2 Comentários

Coxinha do Pé Pra Fora

Buenas Amigos,

Depois de um bom tempo sem escrever aqui por falta de horários vagos para a nossa peregrinaçao em busca do cone perfeito estou aqui para falar sobre a coxinha do Pé Pra Fora.

Esse é um dos bares mais antigos e mais clássico da Pompéia, desde 1970. O nome Pé Pra Fora é porque todas as mesas ficam na calçada e em dias mais movimentados ficam de pé no meio fio. Desde a sua fundação o bar teve apenas dois dono, a D. Felicidade e o Atual. Dizem os frequentadores antigos que pouco mudou entre um e outro, que o atual tem mantido o padrão da casa e feito alterações que em nada afetam a tradição do Bar.

Eu não sabia que no bar tinha coxinha, mas quando li no cardápio lá estava ela, e logo em seguida estava já no meu prato e já adianto que foi uma excelente pedida.

Foto de Adriana de Souza Pereira

As notas:

Gabú
Casca 7
Massa
Leveza 7
Tempero 5
Espessura 5
Frango
Compactação 7
Tempero 8
Quantidade 8
Qualid. Do Desfiado 7
Conjunto da Obra Formato 7
Oleosidade 6
Sabor 6.5
Tamanho 8
Total 81,5

Custo: R$ 3,50

Meus Comentários: A coxinha veio quentinha à mesa, eles fritam na hora, isso já conta como um belo ponto a favor e ainda por cima, diferente de alguns lugares, ela veio com o interior quentinho, diria fumegante. Em função de ser frita na hora a casquinha estava super crocante. A massa não tem nada de mais é aquela massa branca de farinha padrão, na verdade, faltou tempero, estava até sem sal, um pequeno detalhe; mas estava super leve. O grande destaque vai para o recheio, que estava fenomenal, frango desfiado suculento, com um tempero caseiro fenomenal, várias folhinhas de cheiro verde e salsinha contrastando com o laranja típico do recheio do cone! Formato clássico do sacro cone, um pouco gordinha, mas nada que afetasse o formato, e o tamanho bem legal, uma só deu uma forrada boa no bucho.

Pé Pra Fora
Av. Pompéia, 2517 (a menos de 200m da estação Vila Madalena do Metro)
Tel: 3672-4154
Sumaré
São Paulo – S.P
http://www.pepraforabar.com.br/
Publicado em Avaliação, Gabú, Pompéia, Zona Oeste | Marcado com , , , , | 9 Comentários